Posted on: qua, 08/28/2019 - 17:23 By: Mônica Chiesa

O quadro ou, melhor ainda, uma parede onde se possa riscar e colar as notas adesivas que representarão as User Stories movendo-se do Sprint Backlog (planejado) para as colunas “em execução” e “pronto” deve ter espaço suficiente para essas colunas do KanBan, para avisos de ordem geral e demais anotações pertinentes à evolução do projeto.

Junto às reuniões diárias do Scrum, em que todos apresentam a todos o que estão fazendo, o quadro branco também serve para expor, a todo momento e a todos que acompanham o projeto, sua evolução. O Burndown Chart também deve estar no quadro, ou próximo a ele, para que todos vejam a correspondência entre os pontos estimados para as histórias e aqueles efetivamente consumidos, servindo como uma realimentação para o constante aprimoramento das estimativas.

Uma cópia com o mapa mental de todo o projeto, ou o Product Canvas, como proposto por Roman Pilcher (Figura 13.1), também deve estar próxima ao quadro branco, sempre exibindo o Product Backlog integral, dando contexto ao Sprint em andamento.

Figura 13.1 – O Product Canvas proposto por Roman Pilcher.

O Product Canvas é mais uma alternativa à construção e ao refinamento do Product Backlog. A técnica foi criada por Roman Pilcher e é especialmente útil quando os membros da equipe já têm familiaridade com o Business Model Canvas. Basicamente, no Product Canvas, os usuários (personas) do produto ou serviço a ser desenvolvido ficam à esquerda. No meio, em Big Picture, as personas (representadas por seus ícones) são associadas ao que usarão e às formas com as quais interagirão com o produto ou serviço. À direita ficam os detalhes do produto (o Product Backlog em si), já ordenados com os temas dos Sprints. As User Stories podem ser refinadas nas notas adesivas do Product Canvas e migrar diretamente para a progressão no KanBan.