Introdução

Posted on: dom, 08/18/2019 - 20:34 By: Mônica Chiesa

Relutei muito em escrever este livro, já que, desde 2006, tenho publicado em meu blog e no portal Dicas-L textos sobre Scrum e, junto de muitas outras coisas boas escritas por muita gente, pensei que não teria mais nada a acrescentar. Meu editor, Rubens Prates, abriu meus olhos para o erro de interpretação que cometi, usando (não sei se proposital ou intuitivamente) minha característica de leitor contumaz como exemplo. Junto ao Prates, outro grande Rubens, o Queiroz, e mais um monte de bons amigos cobravam-me um livro, não necessariamente este aqui. Minha desculpa era sempre a mesma: se juntar tudo o que escrevi já dá mais de um livro! Mas não era a mesma coisa.

A gente aprende lendo na web, em artigos curtos e mesmo em coleções deles. Porém a relação com um livro é diferente. É de apego, companheirismo, amizade. Um livro a gente leva para a cama, e custa a dormir enquanto conversa com ele. Um livro tem aquele cheirinho bom de livro. E, no fim das contas, eu tinha a obrigação, antes de tudo, de atender ao insistente pedido do Franklin Carvalho, que disse que eu estava sendo egoísta ao privar os meus leitores já fiéis e outros, que nem me conhecem, de ter um livro meu em suas mãos. O Franklin gosta de mim e, por isso, enche a minha bola. Entretanto, eu tenho que reconhecer que o Franklin está sempre certo, em todos os aspectos relativos à vida, ao universo e a todas essas coisas.

Também, claro, foi impossível deixar de pensar que, afinal, já tendo traduzido milhares de páginas que acabaram em livros impressos, eu posso dar-me o direito de permitir, a meus pensamentos, a honra do mesmo destino.

Por que mais um livro sobre o Scrum?

O Scrum entrou na minha vida para melhorar meu entendimento de problemas e permitir, com isso, a criação de soluções eficazes. Não demorou nada para perceber que a criação de empatia com pessoas e a compreensão de suas relações são fundamentais para o entendimento dos problemas que devem ser resolvidos. O Scrum é um ponto culminante em minha vida profissional, a coroação de estudos, testes e aplicação de práticas de Engenharia de Software que, posso dizer com a mais absoluta certeza, iniciaram-se em 1988, na primeira vez em que li O mítico homem-mês, do Fred Brooks Jr. (autor que tive a honra de conhecer pessoalmente).

Você não vai deixar de encontrar aqui o que espera: repetirei muita coisa que pode ser encontrada em outros bons livros sobre o Scrum, até para que você não tenha de ficar assoberbado em meio a outros livros e infinitas referências para poder entender, plenamente, o que estou falando. Por outro lado, não vou ater-me ao uso do Scrum como método, prática, framework ou processo de desenvolvimento de software: você encontrará aqui, por exemplo, o Scrum usado como apoio ao planejamento estratégico ágil de uma empresa. De fato, defendo o Scrum como uma atitude que serve bem a um mundo em que o novo já nasce potencialmente velho, se não for flexível e capaz de constante reinvenção.

Dediquei considerável tempo e esforço para tentar fazer com que este livro fosse o mais atemporal possível e também para que ele servisse como uma leitura agradável, que possa ser feita do início ao fim, mas a qual você também possa usar como referência posterior, no caso de alguma dúvida (vai saber com quais outros ele competirá na cabeceira de sua cama!). Em cada nova edição, busquei colocar novas coisas que aprendi com as pessoas, de várias instituições e empresas, que passaram por minhas oficinas e foram meus coaches de métodos ágeis. Contudo, lutei ao máximo para manter este livro curto, ágil e instigador de novos aprendizados para os leitores.

Diferente de muitos livros que ganham um complemento na web, este aqui é o complemento para coisas que já publiquei na web e que estão, em sua maioria, compiladas em http://brodtec.com/scrum. No entanto, deve haver mais coisas perdidas, ou, melhor, achadas pelo Google. Tente uma busca por “brod intext:scrum” (sem as aspas).

Guia de leitura

Minha recomendação é simples: leia este livro de cabo a rabo. Você tomou a atitude de comprar este livro, prestigiando-o entre tantos outros nas prateleiras de uma livraria real ou virtual. Ou você o tomou emprestado de um amigo ou de uma biblioteca pública. Certamente você chegou até este livro e até esta página que lê agora porque já teve algum tipo de introdução ao Scrum e, provavelmente, até leu algumas das coisas que eu mesmo escrevi sobre o assunto. Então, faça valer seu investimento (seja em tempo ou dinheiro) e não fique, ao menos na primeira leitura, saltando de um capítulo para outro ou indo direto para as partes práticas.

Farei algumas analogias com a aprendizagem do violão: com três acordes, você anima boas rodinhas descompromissadas, mas para ser um profissional do instrumento você terá de estudar e praticar muito. Métodos ágeis não são uma unanimidade, ainda que sejam cada vez mais cultuados e adotados. Você vai encontrar, pelo caminho, os detratores e os paraquedistas – estes, os mais perigosos, pois são justamente os que dão todos os motivos para que existam os detratores. Entre os paraquedistas há aqueles que aprenderam o jargão do Scrum e dos métodos ágeis – os três acordes –, eles animam você e sua equipe, mas na hora das entregas acaba a festa e só sobra a ressaca. Por isso a base fornecida na Parte I é importante. Nela você terá elementos suficientes para identificar paraquedistas e defender-se de detratores quando começar a aplicar as práticas apresentadas na Parte II. Na Parte III você encontrará informações adicionais para aprimorar o seu Scrum, e na Parte IV, um pouco de sugestões de uso não muito tradicionais do Scrum. A Parte V foi criada para a terceira edição desse livro e ela é, quase integralmente, o roteiro de dinâmicas que uso em minhas oficinas de Introdução e Prática em Métodos Ágeis. Antes de encerrar, uma parte chamada Recursos, na qual apresento uma coleção de ferramentas auxiliares de seu trabalho com o Scrum.

No final do livro, você encontrará as referências ordenadas por cada capítulo que você leu. Elas foram para o final justamente para não atrapalharem o fluxo de sua primeira leitura e servem como ponto de partida para a continuidade de sua aprendizagem. Já que é complicado clicar no livro (a não ser que você o esteja lendo no formato digital), todas essas referências estarão em http://brodtec.com/scrum.

Depois da primeira leitura, você poderá guardar este livro como uma referência e saltar as páginas como desejar. Ainda que os capítulos estejam colocados de forma a facilitar a sequência de sua aprendizagem, você vai notar que procurei fazer com que cada um deles fosse contido em si. Dessa forma, você pode usar cada um deles e suas referências ao final do livro como fontes isoladas de consulta em seu aprofundamento nos temas e na sequência de sua aprendizagem. O glossário e o índice remissivo que encerram o livro podem auxiliá-lo em suas revisões e consultas posteriores.

No início de cada capítulo, coloquei um pequeno tuíte, resumindo o assunto do qual ele trata. Aproveito para pedir que, ao ler este livro, se quiser fazer algum comentário ou contribuir com a sua divulgação, use a hashtag #scrumbrod. Fico extremamente agradecido!

 

Comentar

CAPTCHA Nosso portal usa esse mecanismo para evitar spam.